Arquivos de junho, 2016


Para quem achou que inverno era a época de usar looks mais clean, com branco, preto e marrom somente – estava bem enganado. O inverno tem tudo para ser super colorido e descontraído – com estampas que vão te deixar de queixo caído. Mas é claro que o look não depende somente da roupa, o sapato escolhido é fundamental para você arrasar!

Confira abaixo alguns looks combinados com sapatos Tchocco – que vão fazer você se apaixonar ainda mais!!!

ANIMAL PRINT COLORIDO OU ESTILIZADO

1421853349_estamparia-animal-print-colorido-GU416_Pre-Fall_W's-PF_Look-10 com72056-Flex Napa Preto - DESTAQUE

1421853436_estamparia-animal-print-estilizado-Missoni_03_1366com 36004-Veggie Preto - DESTAQUE cópia

CONJUNTINHOS ESTAMPADOS

1421853007_conjuntinhos-Tory_Burch_022_1366com 37003-Veggie Preto cópia

Qualquer um de nós pode provavelmente se lembrar, a cor nude em forma significou apenas uma coisa: um pêssego, pálido bege – ostensivamente destinado a misturar-se na cor de pele, alongar membros, e agir como uma camada de base neutra para construir a sua roupa em cima dele. Em revistas, se espalha de vestidos de pêssego cintilantes “, alongando ” bombas bege e calças cremosos invariavelmente ser dada alguma sugestivo título ainda sem bom gosto como “In the Nude”, e tout a versatilidade dessas peças “de tons de pele”.  A sombra ainda tem o selo oficial de aprovação do Pantone.

Claro, há um problema gritante com este: Nude, por sua definição literal, é suposto que ele deva coincidir com o tom de pele. MAS QUE TOM DE PELE? Existem uma infinidade de cores de pele – o então o dito nude, de fato o é apenas para algumas pessoas. deixando de fora muitas pessoas – especialmente as mulheres de cor – isso simplesmente não é o caso. Óbvio que isso possa parecer um problema que tem sido ignorado por roupas íntimas, lingerie  e as companhias de acessórios por décadas e só recentemente “startups” corajosos, tem sido sido capazes de ganhar força suficiente para vir e preencher as lacunas, oferecendo faixas mais amplas de cor de  pele – peças de tom para mulheres de pele mais escura, em muitas tonalidades surgiram. Em termos de varejo , ainda é muito cedo, uma vez que muitas dessas marcas ainda estão em seu primeiro ano ou no início da existência, mas estão chegando. As marés parecem estar mudando para seleções mais inclusivas e longe dos “one- sombras’ padrão dos últimos anos .
Falando sobre o tempo, Crayola mudou sua “pele” do pastel colorido para “Pêssego”, em 1962 , o que levou a indústria da moda a meio século ou mais para recuperar o atraso? Daqui para frente, fique atento para conhecer algumas das marcas pioneiras a dar às mulheres de todos os tons nudes de pele o que podem finalmente usar .

Fonte: Mulher Singular

 

O procedimento normal é lavar os cabelos com água, xampu, condicionador e tudo mais que os fios têm direito sempre que houver necessidade. Mas lá do criado-mudo, o relógio grita que não há tempo suficiente para esse ritual de beleza. Para casos como esse, a solução pode estar num tubo de xampu a seco, já ouviu falar? O produto em spray, quando borrifado nos cabelos, absorve toda a oleosidade aparente, melhorando a aparência, o odor e a higiene das madeixas.

A dermatologista Tatiana Gabbi, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que o produto contém amido de alumínio octenilsuccinato, uma substância que tem a capacidade de absorver a gordura do cabelo. Mas antes de investir no cosmético, tire um tempo para descobrir como usá-lo corretamente.

1. Como aplicar o xampu a seco

Devem ser disparados jatos curtos na direção da raiz, mantendo uma distância de 10 a 15 centímetros. Depois de alguns minutos, escove bem o cabelo ou use toalha para remover a película branca que se forma na superfície. O ideal é que os jatos sejam aplicados em paralelo ao couro cabeludo, horizontalmente à superfície, e não de forma perpendicular, direta sobre o couro.

Como aplicar o xampu a seco - foto: Getty Images

2. É possível substituir o xampu normal pelo xampu a seco?

Não, o xampu a seco é uma medida emergencial para melhorar a aparência dos fios nos dias em que falta tempo. O xampu a seco não faz uma limpeza eficiente do couro cabeludo, ele apenas reduz a oleosidade aparente. “O ideal é usar o xampu a seco como um auxiliar até a próxima lavagem”, recomenda. Não higienizar adequadamente o couro cabeludo e os fios pode causar coceira, irritação, dermatite seborreica e até o aparecimento de fungos na região.

Lavagem dos cabelos - foto: Getty Images

3. Frequência de uso do xampu a seco

“Desde que não substitua as lavagens ou cause alergia ou irritação, o produto pode ser utilizado na frequência desejada”, recomenda a dermatologista Tatiana. Você pode usar o xampu a seco nos dias em que não lavar os cabelos, por exemplo. Caso surjam irritações, recomenda-se espaçar ou interromper o uso. A dermatologista reforça que é importante não direcionar o jato de xampu a seco diretamente no couro cabeludo, o que pode entupir os poros e causar a irritação.

Xampu a seco - foto: Getty Images

4. Tipos de cabelo

Não é apenas quem tem cabelo oleoso que pode usar o xampu a seco, quem tem cabelos mistos – com a raiz oleosa e a ponta seca – também pode encontrar um grande aliado no produto, que ajudará a equilibrar a oleosidade em todo o comprimento do fio.

Cabelos ao vento - foto: Getty Images

5. Para quem tem caspa ou lesões no couro cabeludo

O xampu a seco não é recomendado para quem está com caspa ou lesões no couro cabeludo. “Não é interessante utilizar se a pele do couro cabeludo não estiver saudável para evitar irritações e alergias, principalmente quando há descamação ativa do couro cabeludo”, explica Tatiana Gabbi. O xampu a seco pode evidenciar mais o problema, uma vez que é necessário esfregar com toalha para remover as partículas esbranquiçadas do produto e, caso o uso seja feito da maneira errada pode obstruir os poros e causar problemas no couro cabeludo.

caspa- foto: Getty Images

6. Para quem tem tendência a alergias

“Quem tem tendência deve fazer um teste para ver se existe ou não alergia aos componentes do produto – em caso positivo, recomenda-se evitar”, conta Tatiana Gabbi. Para fazer o teste, aplique o produto em um pedacinho de pele, atrás do pulso, por exemplo, e aguarde por um período de 24 horas. “Outra possibilidade é usar com cautela e diante da constatação da alergia, interromper o uso”.

Couro cabeludo - foto: Getty Images

7. Xampu ou talco?

Ambos os produtos têm a mesma função, no entanto o xampu, ao contrário do talco, não se aglutina, deixa menos resíduo e tem menores chances de gerar alergias. As chances de o talco obstruir os poros é muito maior, podendo causar até queda de cabelo.

Talco - foto: Getty Images

Fonte: Minha vida

Desenvolvido por Catâniastudio.com