Arquivo de Tag: cuidados


O procedimento normal é lavar os cabelos com água, xampu, condicionador e tudo mais que os fios têm direito sempre que houver necessidade. Mas lá do criado-mudo, o relógio grita que não há tempo suficiente para esse ritual de beleza. Para casos como esse, a solução pode estar num tubo de xampu a seco, já ouviu falar? O produto em spray, quando borrifado nos cabelos, absorve toda a oleosidade aparente, melhorando a aparência, o odor e a higiene das madeixas.

A dermatologista Tatiana Gabbi, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que o produto contém amido de alumínio octenilsuccinato, uma substância que tem a capacidade de absorver a gordura do cabelo. Mas antes de investir no cosmético, tire um tempo para descobrir como usá-lo corretamente.

1. Como aplicar o xampu a seco

Devem ser disparados jatos curtos na direção da raiz, mantendo uma distância de 10 a 15 centímetros. Depois de alguns minutos, escove bem o cabelo ou use toalha para remover a película branca que se forma na superfície. O ideal é que os jatos sejam aplicados em paralelo ao couro cabeludo, horizontalmente à superfície, e não de forma perpendicular, direta sobre o couro.

Como aplicar o xampu a seco - foto: Getty Images

2. É possível substituir o xampu normal pelo xampu a seco?

Não, o xampu a seco é uma medida emergencial para melhorar a aparência dos fios nos dias em que falta tempo. O xampu a seco não faz uma limpeza eficiente do couro cabeludo, ele apenas reduz a oleosidade aparente. “O ideal é usar o xampu a seco como um auxiliar até a próxima lavagem”, recomenda. Não higienizar adequadamente o couro cabeludo e os fios pode causar coceira, irritação, dermatite seborreica e até o aparecimento de fungos na região.

Lavagem dos cabelos - foto: Getty Images

3. Frequência de uso do xampu a seco

“Desde que não substitua as lavagens ou cause alergia ou irritação, o produto pode ser utilizado na frequência desejada”, recomenda a dermatologista Tatiana. Você pode usar o xampu a seco nos dias em que não lavar os cabelos, por exemplo. Caso surjam irritações, recomenda-se espaçar ou interromper o uso. A dermatologista reforça que é importante não direcionar o jato de xampu a seco diretamente no couro cabeludo, o que pode entupir os poros e causar a irritação.

Xampu a seco - foto: Getty Images

4. Tipos de cabelo

Não é apenas quem tem cabelo oleoso que pode usar o xampu a seco, quem tem cabelos mistos – com a raiz oleosa e a ponta seca – também pode encontrar um grande aliado no produto, que ajudará a equilibrar a oleosidade em todo o comprimento do fio.

Cabelos ao vento - foto: Getty Images

5. Para quem tem caspa ou lesões no couro cabeludo

O xampu a seco não é recomendado para quem está com caspa ou lesões no couro cabeludo. “Não é interessante utilizar se a pele do couro cabeludo não estiver saudável para evitar irritações e alergias, principalmente quando há descamação ativa do couro cabeludo”, explica Tatiana Gabbi. O xampu a seco pode evidenciar mais o problema, uma vez que é necessário esfregar com toalha para remover as partículas esbranquiçadas do produto e, caso o uso seja feito da maneira errada pode obstruir os poros e causar problemas no couro cabeludo.

caspa- foto: Getty Images

6. Para quem tem tendência a alergias

“Quem tem tendência deve fazer um teste para ver se existe ou não alergia aos componentes do produto – em caso positivo, recomenda-se evitar”, conta Tatiana Gabbi. Para fazer o teste, aplique o produto em um pedacinho de pele, atrás do pulso, por exemplo, e aguarde por um período de 24 horas. “Outra possibilidade é usar com cautela e diante da constatação da alergia, interromper o uso”.

Couro cabeludo - foto: Getty Images

7. Xampu ou talco?

Ambos os produtos têm a mesma função, no entanto o xampu, ao contrário do talco, não se aglutina, deixa menos resíduo e tem menores chances de gerar alergias. As chances de o talco obstruir os poros é muito maior, podendo causar até queda de cabelo.

Talco - foto: Getty Images

Fonte: Minha vida

Uma importante tarefa surge após assoprar 25 velinhas: cuidar da pele para retardar o aparecimento de rugas. “Nessa idade, a pele sofre uma diminuição da oleosidade natural, que predispõe o ressecamento”, explica o dermatologista Cláudio Mutti, membro da Sociedade Internacional de Medicina Estética.

Também surgem manchinhas acastanhadas do sol e, ao sorrir, aparecem as inconvenientes linhas ao redor dos olhos. Essas marcas são discretas, é verdade, mas já mostram que a sua pele não aceita mais desaforo: basta um descuido para ela despontar um novo sinal. Mas nada de pânico – há alguns hábitos simples que podem ajudar a prevenir essas marquinhas indesejáveis e manter a pele ainda radiante nessa fase.

1. Limpe bem

A limpeza é, em qualquer idade, fundamental para manter a pele saudável e livre de bactérias. Ela deve ser feita com um sabonete indicado pelo dermatologista. O uso de tônico facial também é muito importante, já que regula o pH da pele e facilita a penetração de outros cremes. A dermatologista Daniela Landim, especialista em estética, dá a dica: coloque uma compressa gelada com chá de camomila na área dos olhos e deixe por 20 minutos. Esse truque faz com que os vasos sanguíneos se contraiam e melhora a pigmentação da pele.

imgHandler (1)

2. Corte os maus hábitos

Comer muita gordura, abusar do álcool e fumar são três dos grandes vilões da pele bonita. A dermatologista Daniela Landim enfatiza que é muito importante usar um bom protetor solar, manter uma alimentação saudável, abolir o uso de tabaco e não consumir bebidas alcoólicas em excesso. Essas substâncias tóxicas se acumulam e trazem consequências ao corpo todo, inclusive à pele.

imgHandler (1)

3. Deixe a pele respirar com um bom demaquilante

Para quem tem preguiça de tirar a maquiagem antes de dormir, vale a advertência: isso é um erro que prejudica, e muito, a beleza da pele. A dermatologista Daniela Landim conta que o ideal é passar um bom demaquilante, que limpa de forma profunda e desobstrui os poros, deixando a pele respirar.

imgHandler (1)

4. Nunca se esqueça do protetor solar

O uso de protetor solar é fundamental tanto para a saúde quanto a beleza da pele. Além ajudar na prevenção de câncer, ele contribui para evitar sardas, que tendem a aumentar com o passar dos anos. A dermatologista Daniela Landim orienta passar todo dia – faça chuva ou sol – e a escolher o produto mais adequado ao seu tipo de pele – se for mais oleosa, vale investir numa versão oil-free, por exemplo.

imgHandler (1)

5. Lance mão de um hidratante eficaz

Como a oleosidade natural da pele começa a diminuir, a dermatologista Daniela Landim conta que pode aparecer ressecamento, coceira e manchinhas arroxeadas – chamadas de púrpura. Para reverter esse processo, que pode contribuir para o envelhecimento da pele, o ideal é investir pesado na hidratação. “Tome banhos curtos com água em temperatura ambiente e faça uma generosa hidratação depois, com um hidratante específico para o rosto e o seu tipo de pele”, recomenda a profissional.

imgHandler (1)

6. Comece a usar um anti-idade

Um bom produto antienvelhecimento merece ser usado desde cedo. Os retinoides tópicos – que contêm vitamina A – são uma boa opção. Por aumentar a velocidade da renovação celular e a produção de colágeno, eles previnem e tratam os sinais do envelhecimento. “Ácidos noturnos, como o glicólico, por exemplo, são poderosos antioxidantes e podem ser usados com função de prevenir, proteger e corrigir o envelhecimento celular”, recomenda o dermatologista Cláudio Mutti.

imgHandler (1)

7. Evite a flacidez

Cláudio Mutti recomenda o uso de cremes à base de vitamina C para manter a pele firme. Esse tipo de produto ajuda na produção de colágeno, combatendo a flacidez. Tratamentos estéticos mais pesados, como a radiofrequência, também podem ser usados, mas são indicados apenas quando a perda dos contornos do rosto torna-se mais visível.

imgHandler (1)

8. Esfolie

A esfoliação é importante para a renovação das células da pele. Essa limpeza profunda permite que os produtos específicos para brecar o envelhecimento penetrem na pele de maneira mais eficaz e façam um efeito mais visível. “O procedimento ainda pode retirar manchas superficiais”, recomenda o dermatologista Cláudio Mutti. Mas não deixe de hidratar bem a pele depois de esfoliar, principalmente se sua pele for seca.

imgHandler (1)

9. Trate e previna manchas

Além de um bom protetor solar, os peelings químicos e a laser são boas indicações para peles que começam a apresentar manchinhas de idade. Cláudio Mutti recomenda: marcar uma limpeza de pele com peeling de cristal, máscara hidratante e uma sessão de fotobioestimulação, uma vez ao mês, trará bons resultados.

imgHandler (1)

 

Fonte: Minha Vida

 

Os pés são partes do corpo nem sempre são visíveis mas que devem ter uma atenção especial.

Algumas dicas importantes para cuidar dos seus:

  • A pele dos pés é mais espessa e resistente que a de outras áreas do corpo. Por isso a sola fica com calosidade e células mortas com facilidade. Para retirar o excesso de calosidade é importante esfoliar a região dos calcanhares e a sola e depois hidratar.
  • O uso de sapatos apertados, não arejados e de salto alto facilita o aparecimento de calos. As calosidades que costumam aparecer na zona dos calcanhares e na sola dos pés não passam de uma reação natural da pele ao atrito causado pelo andar, pela má postura ou pelo uso de certo tipo de calçado. Para atenuar calosidades, esfoliar e hidratar, corrigir a postura e usar calçado confortável.

Como manter os pés saudáveis?

  • Para amolecer a pele dos pés, deixe-os de molho durante dez minutos em água morna com vinagre (para cada litro de água acrescente meio copo de vinagre). Em seguida massageie os pés com óleo de amêndoas ou com um creme hidratante.
  • O escalda-pés é um ritual para manter os pés bonitos e relaxados.  A água morna com sais e aromas alivia a tensão, aspereza e a dor dos calos formados pelo uso de sapatos apertados, com bico fino ou saltos altos.
  • Lave muito bem os pés! Não basta deixar que escorra a água durante  o banho. Deve passar a esponja entre os dedos. Depois do banho, é importante secar muito bem os pés, pois a umidade acumulada pode dar origem a micoses.
  • Experimente um banho alternado de pés, quente e frio. É um método simples, agradável e extremamente eficaz, que utiliza a água como forma de promover uma verdadeira ginástica dos vasos sanguíneos dos pés e das pernas. Isso ocorre porque os vasos periféricos se contraem com o estímulo da água fria, e com a água quente se dilatam.

Como manter os pés saudáveis?

 

  • Corte as unhas no máximo a cada quinze dias, de preferência após o banho.  Também pode simplesmente apará-las com uma lixa, sobretudo se regularmente for à pedicure. Não se deve cortar as unhas demais e nem deixá-las muito compridas. O fato de estarem muito compridas contribui para a acumulação de resíduos e sujeira. Se as cortar muito, pode correr o risco de encravar uma unha.
  • Para ter unhas apresentáveis, o ideal é empurrar a cutícula cuidadosamente com uma espátula própria. O excesso de pele pode ser removido com o alicate, mas tem de ter muito cuidado pois pode haver risco de inflamação. Se não estiver habituada a retirar o excesso de pele, depois de empurrar a cutícula, o melhor é deixar esta tarefa para a pedicure.

Como manter os pés saudáveis?

  • Na praia, coloque protetor solar nos pés. Apesar de terem uma pele mais resistente, não devem de forma alguma ser esquecidos. Além de tudo, isso evitar que a pele fique ressecada.
  • Para relaxar, massageie a planta dos pés com uma leve pressão. Aplique creme esfoliante para suavizar seus pés e, em seguida, faça a massagem com um creme hidratante refrescante.

Como manter os pés saudáveis?

Desenvolvido por Catâniastudio.com