O procedimento normal é lavar os cabelos com água, xampu, condicionador e tudo mais que os fios têm direito sempre que houver necessidade. Mas lá do criado-mudo, o relógio grita que não há tempo suficiente para esse ritual de beleza. Para casos como esse, a solução pode estar num tubo de xampu a seco, já ouviu falar? O produto em spray, quando borrifado nos cabelos, absorve toda a oleosidade aparente, melhorando a aparência, o odor e a higiene das madeixas.

A dermatologista Tatiana Gabbi, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que o produto contém amido de alumínio octenilsuccinato, uma substância que tem a capacidade de absorver a gordura do cabelo. Mas antes de investir no cosmético, tire um tempo para descobrir como usá-lo corretamente.

1. Como aplicar o xampu a seco

Devem ser disparados jatos curtos na direção da raiz, mantendo uma distância de 10 a 15 centímetros. Depois de alguns minutos, escove bem o cabelo ou use toalha para remover a película branca que se forma na superfície. O ideal é que os jatos sejam aplicados em paralelo ao couro cabeludo, horizontalmente à superfície, e não de forma perpendicular, direta sobre o couro.

Como aplicar o xampu a seco - foto: Getty Images

2. É possível substituir o xampu normal pelo xampu a seco?

Não, o xampu a seco é uma medida emergencial para melhorar a aparência dos fios nos dias em que falta tempo. O xampu a seco não faz uma limpeza eficiente do couro cabeludo, ele apenas reduz a oleosidade aparente. “O ideal é usar o xampu a seco como um auxiliar até a próxima lavagem”, recomenda. Não higienizar adequadamente o couro cabeludo e os fios pode causar coceira, irritação, dermatite seborreica e até o aparecimento de fungos na região.

Lavagem dos cabelos - foto: Getty Images

3. Frequência de uso do xampu a seco

“Desde que não substitua as lavagens ou cause alergia ou irritação, o produto pode ser utilizado na frequência desejada”, recomenda a dermatologista Tatiana. Você pode usar o xampu a seco nos dias em que não lavar os cabelos, por exemplo. Caso surjam irritações, recomenda-se espaçar ou interromper o uso. A dermatologista reforça que é importante não direcionar o jato de xampu a seco diretamente no couro cabeludo, o que pode entupir os poros e causar a irritação.

Xampu a seco - foto: Getty Images

4. Tipos de cabelo

Não é apenas quem tem cabelo oleoso que pode usar o xampu a seco, quem tem cabelos mistos – com a raiz oleosa e a ponta seca – também pode encontrar um grande aliado no produto, que ajudará a equilibrar a oleosidade em todo o comprimento do fio.

Cabelos ao vento - foto: Getty Images

5. Para quem tem caspa ou lesões no couro cabeludo

O xampu a seco não é recomendado para quem está com caspa ou lesões no couro cabeludo. “Não é interessante utilizar se a pele do couro cabeludo não estiver saudável para evitar irritações e alergias, principalmente quando há descamação ativa do couro cabeludo”, explica Tatiana Gabbi. O xampu a seco pode evidenciar mais o problema, uma vez que é necessário esfregar com toalha para remover as partículas esbranquiçadas do produto e, caso o uso seja feito da maneira errada pode obstruir os poros e causar problemas no couro cabeludo.

caspa- foto: Getty Images

6. Para quem tem tendência a alergias

“Quem tem tendência deve fazer um teste para ver se existe ou não alergia aos componentes do produto – em caso positivo, recomenda-se evitar”, conta Tatiana Gabbi. Para fazer o teste, aplique o produto em um pedacinho de pele, atrás do pulso, por exemplo, e aguarde por um período de 24 horas. “Outra possibilidade é usar com cautela e diante da constatação da alergia, interromper o uso”.

Couro cabeludo - foto: Getty Images

7. Xampu ou talco?

Ambos os produtos têm a mesma função, no entanto o xampu, ao contrário do talco, não se aglutina, deixa menos resíduo e tem menores chances de gerar alergias. As chances de o talco obstruir os poros é muito maior, podendo causar até queda de cabelo.

Talco - foto: Getty Images

Fonte: Minha vida

« »